Terça-feira, 15 de Janeiro de 2008

O pior é se um dia acordamos e ...

- Mãe, cheguei, estás aí?

- Estou a despir-me! Despacha-te e põe a mesa que já é tarde.

- O pai já chegou do trabalho?

- Vem mais tarde. Já puseste a mesa?

- Oh mãe espera. Ainda nao pousei a mochila!

- Então arruma-a, estás para aí a falar e ainda não te vi a fazer nada – grita a mãe.

 

Finalmente a mesa fica pronta. A mãe liga a televisão e senta-se à mesa. A adolescente acompanha-a.

 

A mãe atenta às noticias manda calar a adolescente que por sua vez tentava contar uma cena desagradável ocorrida durante a aula de história. Como a mãe não lhe deu importãncia a rapariga comeu rapidamente e dirigiu-se para o quarto ouvir Tokio Hotel...

 

 

Este é um cenário, talvez um pouco resumido, do que se passa em muitos lares. Pais sem tempo para ouvir os seus filhos pelas mais diversas razões, uma delas é sem dúvida a televisão.

 

Na verdade, os pais não admitem que a televisão ligada durante o momento das refeições monopoliza qualquer diálogo familiar, o que é lamentável, porque este momento de reunião familiar à hora do jantar poderia ser bastante enriquecido se todos falassem sobre a forma como ocorreu o seu dia de trabalho ou escolar.

 

Quando falamos sobre a falta de tempo, normalmente, recorremos a desculpas como por exemplo, cansaço ou mesmo o pobre do stress (álibi perfeito).

 

E assim  vão decorrendo os dias, meses e anos e quando temos um momento milagroso que nos faz olhar em nosso redor,  ficamos apreenssivos com o crescimento dos nossos filhos. Sentimo-nos como se tivéssemos a dormir durante muito tempo e ao acordar deixámos de ver crianças e deparámo-nos com adolescentes quase adultos! Se tudo tiver corrido na normalidade, podemos ficar satisfeitos. Mas, e se algo correu mal em quanto dormimos? Vamos ter um choque e por vezes, de resolução muito dificil.

 

Nota: Não sei se consegui transmitir esta mensagem, mas deixo-a aqui para reflexão e tirarem as vossas prórprias conclusões.

 

Escrito por Ana Jasmin

4 comentários:
De Anonima a 17 de Janeiro de 2008 às 18:24
yh, a minha mae esta sempre a fazer-me isso...nunca entede o meu ponte de vista, nunca tenta o enteder. por vezes grita comigo por nao acreditar nos sonhos que tenho.

Ja chegou a chamar-me alguns nomes. Mas eu ignoro e u melhor k tenhu a fazer, apenas
De rabat_bat a 17 de Janeiro de 2008 às 22:50
Não me cabe a mim julgar a atitude da tua mãe. Eu própria sou mãe sei que muitas vezes me apetecia estar em silêncio ou dedicar-me a algo sem ter que dar atenção aos meus filhos.
Sei que é muito dificil quando queremos falar sobre nós e ninguém nos ouve...mas não podemos desistir e fecharmos-nos em nós proprios, razão pela qual não deves desistir mas sim insistires em falares com a tua mamã, de certeza que ela te ama...
Beijo e abraço de A. Jasmin
De Anónimo a 24 de Janeiro de 2008 às 16:54
O meu marido lembra-me sempre...
"Não há nenhum sucesso na vida que compense o fracasso no lar "

E é TÃO VERDADE !

Tenho que voltar aqui e ler melhor este teu blog amiga...
Não tenho Blog aqui no sapo, mas sim no Blogspot , e não tenho escrito com muita frequência :(

Mas darei notícias aqui...e no Netlog ( que foi o caminho que tomei para vir aqui)

Da tua Amiga ETERNUM_C (NETLOG )

Um ABRAÇO !
De rabat_bat a 25 de Janeiro de 2008 às 11:18
Obrigada pelo teu comentário!

Gostei muito que viesses aqui

Comentar post

.Quem sou?

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.Os mais recentes

. A Burka - Lágrimas que co...

. Partilhar em terras árabe...

. Curiosidades - Caganers

. O pior é se um dia acorda...

. Adolescentes de outrora ....

. Como vai ser o Ano 2008?

. Vamos reconstruir...

. Algumas sugestões de link...

. Carta ao Pai Natal...

. Um Natal com muito carinh...

.Prateleira

. Junho 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.Os meus preferidos

. Porque partiste?

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds